Pescadores confessam ter assassinado Dom Philips e Bruno Pereira

O jornalista do The Guardian e o servidor licenciado da Funai foram a mortos a tiros, depois queimados e enterrados

A Revista Oeste informou que o superintendente regional da Polícia Federal (PF) no Amazonas, Eduardo Alexandre Fontes, confirmou na noite desta quarta-feira, 15, em entrevista coletiva, que o jornalista britânico Dom Phillips e o indigenista Bruno Araújo Pereira foram mortos. 

Eles foram vistos pela última vez no domingo, dia 5 no Vale do Javari.

Os pescadores Oseney da Costa de Oliveira, o Dos Santos, e Amarildo da Costa Oliveira, o Pelado, confessaram o duplo assassinato.

A região onde o indigenista brasileiro Bruno Pereira e o jornalista inglês Dom Phillips desapareceram é dominada pelos cartéis de drogas de Miami, Medellín e Sinaloa.

Reportagem do jornal Estado de S. Paulo desta terça-feira, 14, revela a existência de uma cadeia criminosa em plena atividade por rios, florestas e cidades da tríplice fronteira com a Colômbia e o Peru.

Dos três cartéis internacionais, o de Medellín predomina no Alto Solimões, região que compreende os municípios de Tabatinga, Benjamin Constant e Atalaia do Norte.